pt es en
pt es en

REGULAMENTO WWFF-PYFF BRASIL – SUMÁRIO

Apresentação

REGULAMENTO DO PROGRAMA BRASILEIRO RADIOEXPEDIÇÃO PARA ATIVAÇÃO DE PARQUES E ÁREAS AFINS BASEADO NO PROGRAMA MUNDIAL WWFF.
a) A estação
b) Operação
– Formas de operações não permitidas
– Ambiente de instalação

c) O diploma Flora & Fauna no Brasil

1. Introdução ao Diploma Flora e Fauna Brasil
    1.1 Propósito
    1.2 Estruturas organizacionais
    1.2.1 Atribuições da equipe
    1.3 História
2. Estrutura do programa DFF e WWFF
    2.1 Onde encontrar as regras nacionais do Programa DFF Brasil?
    2.2 Participantes: Ativadores, Caçadores e Radioescutas (SWL)
    2.3 Como funciona o Diploma Flora e Fauna Brasil?
        2.3.1 Regras WWFF-PYFF
        2.3.2 Lista de Parques
        2.3.3 Comprovação da Operação
        2.3.4 – Listagem de Parques e Áreas de Preservação
        2.3.5 – Envio de LOG das Ativações
3. Acompanhando seu progresso no Diploma Flora e Fauna Brasil
4. Licenças legalmente registradas
5. Participação no PYFF-WWFF e Diploma por sua conta e risco
6. Fornecendo logs de Ativador
    6.1 O registro deve ser enviado para reivindicar a referência
    6.2 Arquivos ADIF
7. Informação aos SWL: Como participam?
8. Código de Conduta DX
9. Prêmios do WWFF
10. Diploma Flora e Fauna Brasil – DFF Brasil – Premiação
    10.1 Categoria Ativador
    10.2 Categoria Caçador
    10.3 Envio de Certificado
11.  Considerações Finais
12. Contato e data de atualização


REGULAMENTO WWFF-PYFF BRASIL

Apresentação
O texto a seguir descreve um conjunto de orientações a serem seguidas por um grupo de radioamadores ou em operação individual de como instalar estação de radioamador em área de conservação natural, seja ela um parque, uma floresta ou demais áreas de proteção ambiental previamente catalogadas no programa mundial WWFF, bem como as regras de validação para a atividade do Programa WWFF-PYFF Brasil, para que operador(es) participe(m) do Programa e em consequência, estamos registrados no programa de Diplomas e Certificados de Ativador(es) ou Caçador(es) WWFF. As normas seguem a legislação brasileira e em atenção a adequações para que o radioamador possa operar de maneira segura em território nacional, levando-se em conta e extensa área territorial, os cuidados com seu bem estar e segurança.

O operador deverá sempre seguir às regras de ética operacional descritas no regulamento da Antel, utilizando para identificação seu indicativo pessoal e havendo a necessidade de utilização de indicativo especial, deve-se seguir as regras conforme Resolução Anatel 449 de 17/11/2002 que trata da operação de Radioamadores, bem como o link para acesso ao Sistema SEI para requerer indicativo especial:
(https://informacoes.anatel.gov.br/legislacao/resolucoes/21-2006/93-resolucao-449 )
(https://sei.anatel.gov.br/sei/controlador_externo.php?acao=usuario_externo_logar&id_orgao_acesso_externo=0 )

REGULAMENTO DO PROGRAMA BRASILEIRO RADIOEXPEDIÇÃO PARA ATIVAÇÃO DE PARQUES E ÁREAS AFINS BASEADO NO PROGRAMA MUNDIAL WWFF.
a) A estação 
A estação a ser instalada é composta por um ou mais radio Transceptor com o plano de frequências e bandas dependentes da forma de trabalho planejado pelo(s) Operador(es), VHF/UHF em especial nas bandas 6m e HF – 160 a 10 metros.
Dos equipamentos (Configuração básica)
– RADIO TRANSCEPTOR (Se possível com ACOPLADOR INTERNO);
– ACOPLADOR EXTERNO (ao caso de acerto de ajustes);
– FONTE TRANSFORMADORA (Com tesão de entrada de 110v ou 220v para saída 13,8v);
– MICROFONE E FONE DE OUVIDOS (DÊ PREFERENCIA AOS HEADSETs que incorpora os dois equipamentos);
– CABOS ELÉTRICOS DE CONEXÃO (Para rádio  e fonte transformadora);
– CABO COAXIAL (para conexão entre os equipamentos transceptores e a antena);
– CONJUNTO DE ANTENAS PARA AS BANDAS PLANEJADAS (limite-se a usar antenas básicas, tipo portáteis que possuem mais facilidade de montagem e desmontagem;
– NOTEBOOK – Conjuto de fonte de alimentação, cabos elétrico e cabos de comunicação com o radio para registro dos contatos de forma eletrônica (LOG BOOK) e uso de programas de computadores aplicados ao caso;
– SOFTWAREs (Sugestão): Em ambiente Windows utilize os seguintes software com suas respectivas funções:
Para registro de contatos: N1MM e outros;
Para armazenamento de contatos: Software de LOG BOOK;
Para uso em Modos Digitais – FT8/FT4 uso do software WSJT-X, JTDX, MSHV entre outros.
Para uso em demais Modos Digitais – a escolha pelo operador.

b) Operação
Formas de operações não permitidas
– Aeronáutico móvel (AM)
a bordo de qualquer aeronave (por exemplo, avião, helicóptero, hang planador, balão, dirigível, etc) localizado acima de uma área de referência WWFF não é permitido;
– Contatos via Repetidores, IRLP, Echolink
não contam para QSOs válidos. Contatos através de estações remotas não são permitidos. A comunicação via satélite como QO-100 é aceita;

– Contatos automatizados ou remotos, ou seja, contatos não iniciados e concluídos pessoalmente por ambos operadores no momento do QSO não são aceitáveis;
– Que não possuem Registro na Anatel: não é permitido operação a pessoa não autorizada ou homologada pela Anatel para operar em equipamento transceptor ou em freqências de rádios que não seja de uso exclusivo aos radioamadores,
excluem-se operações no frequência de faixa do cidadão e demais frequências que não sejam para uso aos radioamadores;
AMBIENTE DE INSTALAÇÃO
– Certifique-se que estará em um local seguro com relação a animais selvagens, ações da natureza como tempestades, altas ou baixas temperaturas e sua segurança fisica realizada por terceiros (sequestros, roubos ou furtos);
– Observe se existe fornecimento de energia elétrica para alimentação dos radios e demais equipamentos, tenham preocupação com motores geradores que gerem poluição sonora e do ambiente;
– Observe a área de instalação com relativa distância entre as árvores para que não exista interferências;
Cuide de seu LIXO (resíduos orgânicos e não orgânicos) e leve com você ao retornar todo material utilizado ou armazene em local adequado;
– Preserve a harmonia do local;
– Respeite a Natureza.

c) O DIPLOMA FAUNA E FLORA BRASIL
O Diploma visa ofertá-lo a partir de seus esforços em operação em parques no qual apresentamos as regras abaixo. O Diploma foi elaborado pela Coordenação Geral do Programa Mundial WWFF no Brasil baseado nas boas práticas de difentes programas de emissão de Diplomas ou Certificados nos países que aderiram programa WWFF.

DIPLOMA FLORA & FAUNA BRASIL
1. Introdução ao Diploma Flora e Fauna Brasil
O Diploma Fauna e Flora Brasil – DFF Brasil é um programa brasileiro de premiação aos Ativadores, Caçadores e Radioescutas que realizaram contatos em operação portátil em Parques e demais área de preseravação ambiental no Brasil, baseados no Programa Mundial WWFF (World Wide Flora e Fauna).
Denominamos de Ativação WWFF, Expedição DX, Expedições em Parques, Expedição PYFF-WWFF ou simplesmente DXPedition o ato de praticar a operação de montagem e operação portátil de forma temporária nos Parques e  demais áreas de Preservação.
1.1 Propósito
O DFF Brasil, programa brasileiro de radioamadorismo, cujo objetivo é “Contribuir para divulgar a importância de proteção à natureza, de áreas de  preservação e incentivar o desenvolvimento de habilidades no radioamadorismo, especialmente em operações portáteis dos diversos modos.“.
Estimular Radioamadores a realizarem operações portáteis em parques e, por sua vez, divulguem essas áreas à comunidade de radioamadores mundial.
1.2 Estruturas organizacionais
O DFF Brasil é um programa não comercial dirigido pela Coordenação do WWFF no Brasil em cooperação com Grupos ou Radioamadores autônomos que realizam práticas de DX, Contests e DXPeditions em áreas catalogadas pelo Programa WWFF.
1.2.1 Atribuições da equipe 
a) O planejamento é gerenciado pela Coordenação no Brasil, havendo o processamento das operações o programa mundial WWFF no qual o envio de Log´s de Contatos será processado para ambos os programas;
b) A equipe a ser definida ou assumida pela Coordenação do Programa DFF Brasil;
c) As regras do Diploma Flora e Fauna Brasil possuem referências ao Programa WWFF mas com autonomia e gestão com relação ao Programa WWFF.
1.3 História
A criação do Diploma faz parte do plano de gerenciamento de gestão e de representação do programa WWFF no Brasil que, a partir de 2018 quando Ronaldo Borges do Val, indicativo PS8RV assumiu a Coordenação do Programa WWFF no Brasil trabalhou para consolidar um diploma nacional de ativações em parques e áreas de preservação da natureza. Mais informações podem ser encontradas no site do WWFF:  ( http://wwff.co ). Registros de ativações anteriores a essa data serão aceitos desde que os Log´s de contatos já estejam publicados no site em ( http://wwff.co/logsearch/ ).

2. Estrutura do programa DFF e WWFF
O DFF Brasil, tem como escopo a premiação aos participantes do programa de ativação de Parques WWFF, sendo o regulamento encontrado no endereço eletrônico:
http://wwff.winqsl.com/wwff_cont/uploads/2018/03/WWFF-Global-Rules-V_5.3.pdf ) tendo  válidade a partir do recebimento dos LOG´s de Contatos de ativação de um Parque ou Área de Preservação constante na lista do Programa WWFF em ( www.wwff.co/directory ) que descreve as áreas de atuação identificadas com o prefixo PYFF no diretório WWFF do Brasil e as regras priorizam sobre a regra global WWFF.
2.1 Onde encontrar as regras nacionais do Programa DFF Brasil?
As regras nacionais podem ser encontradas nas várias páginas web dos programas nacionais.
Um link para os vários programas nacionais pode ser encontrado no diretório WWFF do Brasil em (http://wwff.co) com referência ao Programa Nacional Brasileiro.
2.2 Participantes: Ativadores, Caçadores e Radioescutas (SWL)
Ativadores são aqueles radioamadores que operam portáteis de dentro de uma área de referência do WWFF;
Caçadores são aqueles radioamadores que fazem contato com os Ativadores que estão operando portátil a partir de uma área de referência designada do WWFF;
Radioescutas são aqueles que ouvem e registram as atividades dos Ativadores operando portáteis dentro de uma área de referência designada do WWFF no Brasil.
2.3 Como funciona o Diploma Flora e Fauna Brasil?
O Diploma Flora e Fauna Brasil objetiva premiar Radioamador ou Radioescuta participante de Ativações conforme regras premiações no item 10, comprovadas a partir do recebimento de logs de contatos enviado pelo Ativador ou em registro de escuta no período da ativação do Parque.
Para requerer o diploma serão aceitos contatos registrados em log e enviado ao site (www.wwff.co ) ou escutas de estações conforme conforme gerais de radioescutas com envio de log, e-mail ou cartão QSL e que seja comprovado sua atividade de escuta. Uma operação será válida se atenderem às seguintes condições:
2.3.1 Regras WWFF-PYFF
Grupo de ativação ou Ativador individual deverá atender às regras que descrevem o Regulamento Brasileiro do Programa WWFF, observando que para a validação nas áreas de proteção com a classificação WWFF-PYFF devem conter os dados da operação, como: Data e Hora da operação, Indicativo de chamada, Indicativo da estação contatata, Sinal de transmissão e recepção (RST Send/Received), Localização da estação e da estação em contato no formato Grid Square/Grid Locator, Frequência da operação, Banda, Modo de Operação e entre outros dados padrões de contatos no formato de arquivo eletrônico ADIF.
O(s) Operador(es) deve(m) seguir aos critérios de ativação para que sua atividade conte para um prêmio de Ativador e que seja beneficiado o Operador contatado no prêmio de Caçador, com os critérios desse ítem que:
a) Para efeito de catalogação de ativações realizadas, o Programa Mundial WWFF considera no cálculo de estações trabalhadas por indicativo, seja ele pessoal ou especial, apenas uma referência por vez, ou seja, havendo mais de uma ativação de uma mesma referência WWFF, conta-se como única, não havendo acumulo de mais de uma operação para efeito de Diplomas, no entanto pode-se ativar quantas vezes desejar a mesma área sem efeito de aumente de referências no histórico do indicativo de operação;
b) A validação da operação será confirmado pelo LOG enviado e recebido ao Coordenador do Programa WWFF-PYFF no qual é declarado como um conjunto de contatos realizados em uma única atividade, não em atividades acumuladas;
c) Para indicativo pessoal: é validado a operação que obtiver o número mínimo de 44 (quarenta e quatro) QSOs para operador único utilizando seu indicativo no qual apenas o titular do indicativo poderá operar;
d) Para indicativo especial: é validado a operação que obtiver o número mínimo de 200 (duzentos) QSOs para operador único ou grupo de operadores, havendo a necessidade de descrever o indicativo especial e o indicativo do(s) Operador(es), nesse caso a relação dos operadores devem ser descritos no LOG de contatos;
e) São considerados todos os contactos realizados após 01 de Janeiro de 2018;
f) Os critérios de operação devem seguir ao(s) Regulamento(s) de Operação da Agência Nacional de Telecomunicações – ANATEL, com relação ao uso da(s) frequência(s), modo de operação, banda e classe do Operador (Classes A, B ou C).
g) A divulgação da operação WWFF-PYFF em peças publicitárias em formato eletrônico ou impresso, deve-se apresentar a logomarca do Programa WWFF juntamente com a referência WWFF, no caso do Brasil, a referência PYFF, bem como a descrição do nome da área a ser ativada e a unidade da federação no Brasil.
h) Serão devolvidos para correção pelo Ativador, LOGs recebidos com registros duplicados com mesmo Call, Modo, Banda, Dia, Mes, Ano, Hora e variação de minutos para envio ao site WWFF de crédito de ativação.
2.3.2 Lista de Parques
O Parque ou Área de Preservação deverá estar incluído na Lista Oficial de Parques do Programa WWFF, com refrerencia PYFFXXX, onde XXX é o número do Parque ou Área de Preservação no Brasil.
A Lista dos parques poderá ser alterada com a inclusão de novos prefixos ou sua remoção conforme publicação no site (www.wwff.co).
2.3.3 Comprovação da Operação
A operação deverá ser comprovada por envio de localização física ou em referência no site QRZ.COM, estando os ativadores na mesma área de localização ou sua aproximação, desde que atenda as coordenadas de localização calculadas conforme referência técnica de GRID Locator de até 6 (seis) dígitos. Em caso excepcional, sobre autorização da Coordenação do Programa Brasileiro de Fauna e Flora, estende-se ao próximo GRID de 6 dígitos no limite da área do Parque ou da área de Preservação Natural.
Sugerimos o uso dos aplicativos Google Earth, Google Maps ou o site de localização de GRID LOCATOR. Os sites abaixo são referência para definir os limites de área:
(https://k7fry.com/grid/ )
(https://dxcluster.ha8tks.hu/hamgeocoding/ )
2.3.4 – Listagem de Parques e Áreas de Preservação 
A lista de Parques e Áreas de Preservação encontra-se no endereço eletrônico (http://wwff.co/directory/) com referência ao Brasil – PYFF.
2.3.5 – Envio de LOG das Ativações
Para operações no Brasil,  é sugerido, preferencialmente, enviar o LOG para o e-mail do Coordenador, PS8RV (ronaldobval@gmail.com) para que seja depurado o arquivo ADIF e preparado para envio, evitando para o Ativador problemas na preparação do arquivo. Lembrando que só será válido LOG no formato ADIF como descrito nesse regulamento.

3. Acompanhando seu progresso no Diploma Flora e Fauna Brasil
Os Ativadores, Caçadores e Radioescutas podem acompanhar o seu progresso no programa do WWFF referindo-se ao WWFF Logsearch, que é a base de dados online para o WWFF programa. O WWFF Logsearch pode ser encontrado em ( http://wwff.co/logsearch/ ).

4. Licenças legalmente registradas
a) Ativações realizadas no Brasil que visam atender ao Diploma DFF Brasil devem possuir licença apropriada de Radioamador ou de Indicativo Especial emitida pela Agência Nacional de Telecomunicações atendendo aos critérios de uso de banda e faixa de frequências.
b) Radioamadores Estrangeiros que farão ativação em território brasileiro, deverão solicitar licença para operação com documento devidamente comprovado, critérios esses que serão objeto de desclassificação quando não se atender às regras de ativações de parques.

5. Participação no PYFF-WWFF e Diploma por sua conta e risco
Os ativistas do Diploma Flora e Fauna e do Programa PYFF-WWFF participam inteiramente por sua conta e risco. A equipe do Diploma Flora e Fauna e do Programa WWFF não assume qualquer responsabilidade por lesões, perda de vidas ou qualquer outra perda, seja ela física ou financeira, bem como não possui qualquer responsabilidade civil ou criminal quanto da ativação de um parque ou área de preservação ambiental.

6. Fornecendo logs de Ativador
6.1 O registro deve ser enviado para reivindicar a referência
Para o credenciamento de uma área do WWFF como Ativador, você deve enviar um registro eletrônico (arquivo ADIF) de todos os QSOs feitos. Registro manuscrito, digitadas, planilhas não serão aceitos.
Não é papel dos coordenadores nacionais converter os logs em ADIF ou CSV, sendo de responsabilidade do Ativador.
6.2 Arquivos ADIF
a) O Log de registro da Ativação deve ser enviado no formato ADIF (Formato Amador de Intercâmbio de Dados). O ADIF é um padrão aberto para troca de dados entre pacotes de software de radioamador disponíveis de diferentes fornecedores.
b) A escolha de uma área WWFF-PYFF deve conter a comprovação de início e final da operação a partir do envio do LOG de operação no formato ADIF. O Log, deverá conter através de TAG´s ADIF, as principais informações do contato como: Indicativo da estação que realizou o contato, Data e Hora do contato, Frequência e Banda, Modo de operação, Relatório de Sinais trocados, GRID Locator, da estação ativadora com 6 dígitos, Indicativo da Estação Ativadora e do Operador, Referência WWFF do local que está ativando (no cabeçalho), além de outras informações que compõem um arquivo ADIF.
c) Mais informações sobre arquivos ADIF, consulte: ( http://www.adif.org/ ).

7. Informação aos SWL: Como participam?
Os certificados SWL caçador podem ser solicitados diretamente da equipe do PYFF-WWFF / DFF Brasil. Uma lista de estações ouvidas, com datas, horários, frequências, relatórios de sinais trocados e números de referência relevantes, deve ser enviada.

8. Código de Conduta DX
Os participantes do WWFF são sempre encorajados a respeitar o Código de Conduta da DX.
Informações sobre o Código de Conduta da DX podem ser encontradas em: (https://www.iaru-r1.org/on-the-air/spectrum-abuse/dx-code-of-conduct/http://www.dx-code.org/ ).

9. Prêmios do WWFF
Encontram-se disponíveis variados certificados de prêmios oferecidos no programa WWFF nos países credenciados integrados a um sistema de premiação global. Os prêmios globais do WWFF estão disponíveis em formato eletrônico (.pdf ou jpg) e são gratuitos.
Outras fontes de informação, como cartões QSL, LOTW, eQSL, não são aceitas para prêmios globais. Consulte o Regulamento Geral WWFF (www.wwff.co ).
O sistema de apuração de LOGs do Programa Mundial WWFF insere automaticamente ao programa de certificados nas categorias Ativadores ou Caçadores todos os indicativos de chamadas existentes em seu banco de dados. Para que o radioamador ou grupo de radioamadores possam acompanhar sua evulução de pontuação, sugerimos que seja feito seu registro junto ao sistema no link (https://wwff.co/wp-login.php?itsec-hb-token=hiwwff ).
Todos os prêmios globais do WWFF são baseados nas informações do QSO contidas no banco de dados do WWFF Logsearch (http://wwff.co/logsearch/ ).

10. Diploma Flora e Fauna Brasil – DFF Brasil – Premiação
Em reconhecimento à dedicação do Radioamador nos contatos realizados através operação comprovadas por envio de LOG ao site wwff.co em áreas brasileiras catalogadas no Programa WWFF, a Coordenação do Programa DFF Brasil disponibiliza Certificados de Participação nas categorias.
Nota: Não se faz necessário o operador da categoria Caçador enviar o LOG de contato, visto que a conferência se dá pelo envio pelo Ativador de seu LOG de operação do site do WWFF.

10.1 Categoria Ativador
BRONZE       – 10 (dez) ativações comprovadas em Áreas Catalogadas no Programa WWFF;
PRATA          – 50 (cinquenta) ativações comprovadas no WWFF;
OURO           – 100 (cem) ativações comprovadas no WWFF;
DIAMANTE
  – 200 (duzentas) ativações comprovadas no WWFF;
HONORÁVEL (Top Honor) – 400 (quatrocentas ou mais) ativações comprovadas no WWFF;

10.2 Categoria Caçador
BRONZE       – 10 (dez) contatos comprovados de Áreas Catalogadas no Programa WWFF;
PRATA          – 50 (cinquenta) contatos comprovados no WWFF;
OURO           – 100 (cem) contatos comprovados no WWFF;
DIAMANTE
  – 200 (duzentos) contatos comprovados no WWFF;
HONORÁVEL (Top Honor) – 400 (quatrocentos ou mais) contatos comprovados WWFF;

10.3 Envio de Certificado
a) O Diploma será enviado em arquivo digital (.pdf), sendo totalmente gratuito, podendo ser autenticado no site da premiação com referência a partir do diretório WWFF Brasil em (http://wwff.co ) com referência ao Programa Nacional Brasileiro.
b) O Diploma será enviado apenas via internet, no formato.pdf  e dispensado o pagamento.

11.  Considerações Finais
O Programa de Diploma Flora e Fauna Brasil deseja a todos Radioamadores e Radioescutas boa sorte nas ativações. Lembre-se, você vai operar fora de seu QTH,  então o conforto de uma operação em campo não existirá tal, organize o material que transportará em apenas o básico.

12. Contato e data de atualização
Informações, esclarecimentos, dúvidas e sugestões – ronaldobval@gmail.com
Teresina(PI), Brasil em Fevereiro de 2019.  Ronaldo Val – PS8RV
Atualizado em 02/06/2024.